[ editar artigo]

Salas privativas x espaço compartilhado. Como engajar pessoas?

Salas privativas x espaço compartilhado. Como engajar pessoas?


Olá Pessoal, todos bem?

Eu sou Mirian, gerente de comunidade em construção, de um lindo coworking no sul do mundo, estou aqui para falar com vocês sobre a minha dor. 

Antes vou falar um pouco da minha realidade, hoje somos em 160 pessoas dentro do nosso espaço de coworking divididos em salas privativas e espaço compartilhado, temos vários segmentos e empresas de vários tamanhos também.

A minha dor é: 

Não consigo atingir todos os funcionários dessas empresas de salas privativas, sempre falta aquela interação, não participam dos eventos, happy hours, almoços, bate papos e etc. 

Se conseguíssemos conhecer quem vai se instalar na comunidade, descobrir afinidades, visão de mundo e etc. para depois fechar o contrato, já teríamos meio caminho andado na busca de um engajamento maior eu sei. Mas na prática nem sempre é assim, não é mesmo?

O meu desafio é integrar pessoas de vários segmentos dentro de empresas tradicionais em ambientes atuais (inovadores). Complexa essa vida de Community Manager meu povo!

No espaço compartilhado as relações acontecem naturalmente, a troca é uma atividade natural e diária. Por outro lado, as empresas mais formais e maiores que utilizam as salas privadas tendem a ser mais fechadas e introspectivas, é preciso uma dose de sensibilidade para atravessar essa barreira e fazer com que se sintam parte de um todo.


Enquanto comunidade precisamos priorizar as relações interpessoais, fazer com que a pessoas, interajam, participem e sintam- se acolhidas, mas como fazer quando corporações já engessadas caem na nossa comunidade?
 

Elenquei alguns itens que podem tirar essas pessoas da “toca” ops! salas e conectar com a galera, vocês podem, por favor, me ajudar com mais dicas?

Ouvir o que elas tem a dizer, ou melhor, Escutar o que elas tem a dizer; Isso inclui o funcionário do seu cliente também, afinal ele pode direcionar alguns caminhos para trazer a empresa para o lado compartilhado da força, a gente sempre tem muito o que aprender e ouvir genuinamente as pessoas faz com que elas se sintam valorizadas.  

Convidar pessoalmente para os eventos; Sei que nossa função é uma correria e seria a glória disparar e-mails e mensagens com convites e pronto, porém nada como com um “oi você vem né, estarei te esperando” pessoalmente, vale a pena acredite ;).

Investir em campanha para causas sociais; A generosidade une pessoas, motivar a comunidade para o bem comum e valorizar a participação das empresas podem ser recompensador.

Está aí galera, meu primeiro texto "pedido de socorro" disfarçado de contribuição para esse nosso cantinho lindo. Como mencionei lá no início, sou uma gerente em construção e estou entusiasmada com a possibilidade de vocês serem os meus pedreiros, engenheiros, arquitetos and mentores nessa jornada construtiva.

Seguimos juntos! 
 

Tribos
Mirian da Rosa
Mirian da Rosa Seguir

Apaixonada pela simplicidade e complexidade das relações humanas. Uma aprendiz de Gerente de Comunidade (que até pouco tempo nem sabia o que era) de um lindo coworking do sul do mundo, aguardando novas conexões.

Ler conteúdo completo
Indicados para você