[ editar artigo]

É tempo de criar comunidades? l 2º Webinar TRIBOS.

É tempo de criar comunidades? l 2º Webinar TRIBOS.

Boa noite comunidade,
Todos bem?

Meu nome é Izadora, já apareci aqui algumas vezes e hoje vim compartilhar alguns aprendizados que tiramos do último webinar que rolou da TRIBOS.

O tema foi “É tempo de criar comunidades?” e tivemos a Laura Gurgel, do Clube de Negócios, com anos de experiência empreendendo e mentorando no universo de coworkings,  e o Lucas Studart, que escreveu sobre mudar o mundo usando comunidades aqui na Tribos,, que tem uma visão incrível e experiências diversas nesse mundo, além do Luiz Heiras, e a Jennifer Medeiros representando a Tribos e contribuindo com seus conhecimentos e repertório.

Se você é do time aúdio/vídeo, indico assistir essa conversa gostosa no Youtube.
Mas se você é do time leitura, aqui embaixo dividi meus maiores aprendizados com essa aula gratuita.

  1. O senso de pertencimento aumentou.

A laura compartilhou que, com a sua comunidade, que era offline antes da pandemia, o senso de pertencimento aumentou após isolamento social. A sua comunidade está tendo encontros diários no mesmo horário para falarem sobre assuntos diferentes e se reencontrarem.

Ela dividiu que, impressionantemente, mais pessoas se conectaram e se conheceram por esses eventos online após pandemia do que até mesmo no dia a dia do coworking, momento em que havia muitos outros focos, como o próprio trabalho. 

2. As pessoas já estão mais adaptadas a essa nova realidade.

A jen trouxe a sua percepção de que as pessoas já estão em uma nova etapa do isolamento e da quarentena, em que, mesmo instáveis e ansiosos, já se encontram mais adaptados e aceitando melhor a nova rotina. O que possibilita uma movimentação maior dentro das comunidades.

3. É possível construir relações de confiança no online.

O Lucas compartilhou ser um pouco cético quanto as relações nas comunidades online, mas ter percebido que é possível criar ambientes seguros online, após certas experiências vividas, como a da comunidade O lugar, a qual faz parte.

Para ele, criar comunidades é criar ambientes favoráveis para que as coisas emergam ali dentro, e a base para isso é criar uma relação de confiança, o que é muito difícil em ambientes online. 

Afirmou que é preciso ter um propósito claro e que realmente conecte sua persona, para que seus membros entendam o seu valor e real benefício para que queiram engajar na comunidade. 

4. É preciso humanizar seus processos e criar valor pra sua comunidade.

O Luiz afirmou um ponto importante. Agora, mais do que nunca, as pessoas querem se conectar com outras pessoas, não com marcas sem rosto, robôs, atendimentos sem sentimentos. 

É preciso ter um contato maior dentro das comunidades, mostrar seu rosto, expor suas vulnerabilidades, abrir conversas abertas, fazer zoom interno, lives exclusivas, responder os comentários ativamente.

O que conecta com o aprendizado da fala da Laura, que foi:

5. É hora de se fazer presente na sua comunidade.

Os gerentes de comunidade precisam estar acessíveis e ativos nas suas comunidades. Se mostrando presentes, fazendo eventos, indo pessoalmente nas pessoas da sua comunidade, se interessando por como eles estão, se estão ciente do que está acontecendo na comunidade, se precisam de alguma ajuda. 

É preciso manter a relação com a sua comunidade e mostrar que está à disposição para ajudá-los. 

6. Ser Community Manager exige uma habilidade de pedir a coisa certa na hora certa.

O Community Manager precisa ser observador, sensível e bom vendedor para conseguir criar relação de confiança com sua comunidade para que participem dos eventos que você quiser.

Os CM’s acham que é só fazer um evento e as pessoas vão aparecer e adorar, e quando não aparecem, ficamos chateados, achando que a comunidade é ingrata, mas na verdade, só não conseguimos demonstrar o valor do evento e criar uma relação de confiança com o nosso membro. 

Para que ela participe do seu evento, é preciso gerar uma vontade nela.

Antes de grandes eventos é preciso testar aderência, necessidade e interesse da comunidade, para não se frustrar muito colocando a mão na massa e não tendo adesão. 

Bom, essas foram as maiores lições que eu tirei dessa troca entre esses 4 gestores de comunidades.

Isso não é nem ⅓ de tudo que encontramos no webinar, mas espero que tenha valido a pena a leitura para vocês por aqui!

Se quiser compartilhar qualquer novo insight ou ideia, vamos adorar ler os comentários.

Nosso 3º webinar já tem tema e data e falaremos sobre: Costumer Success e Customer Experience e Comunidade - No que se conectam e no que se diferem, nessa quinta-feira, dia 14/05. Ativa o lembrete do youtube! 

Até mais,
Iza Barros.
 

Tribos
Izadora Barros
Izadora Barros Seguir

Humana, curiosa e criativa. Me encontrei na profissão de Gerente de Comunidade depois de ter me tornado uma advogada frustrada e desde então me dedico a estudar e disseminar conhecimentos na área de comunidade.

Ler conteúdo completo
Indicados para você