[ editar artigo]

Apenas um Canal no Telegram não é uma Comunidade Digital

Apenas um Canal no Telegram não é uma Comunidade Digital

Olá eu sou Marcílio Augusto e este é um texto baseado em minhas percepções e experiência sobre o assunto.

 

Usar o Telegram como ferramenta é algo muito legal e importante na estratégia de comunidades digitais. Entretanto, é preciso aprender que isso não é tudo!

Antes de começar, preciso te contextualizar com o que entendo ser uma comunidade de acordo o dicionário e de forma empírica; uma comunidade digital é:

Um ambiente seguro onde existe o conjunto de indivíduos ligados por interesses comuns que se associam com frequência ou vivem em conjunto.

Se você entendeu, como eu, o que diz a citação, se associar com frequência e viver em conjunto, exige um certo grau de troca, conversa, intimidade.

E por causa disso é que eu tenho uma barreira grande com Comunidades Digitais que utilizam (1) uma plataforma com vídeos e então (2) o recurso de Canal no Telegram e então dão o nome daquele produto de "uma comunidade digital".

 

É preciso ouvir as pessoas em uma comunidade digital

Um Outdoor, uma revista. Estes são dois exemplos claros de uma ferramenta de comunicação que é unilateral, não tem a intenção de ouvir quem está do outro lado lendo.

Agora falando de meios digitais, temos uma Lista de Transmissão do WhatsApp, um Canal no Telegram, algumas Newsletters.

Me desculpe, caro leitor, mas se as pessoas, membros da comunidade não têm voz, se elas não se comunicam, se elas só recebem mensagens e não existe a possibilidade de interagir e colocar seus pontos de vistas, então você não tem uma comunidade digital online offline que seja (se é que você se propôs em ter uma).

O quanto você consegue crescer quando participa ouvindo do aprendizado de outra pessoa? Nós falamos tanto que as pessoas são únicas, que estamos interessados em pessoas. Mas quando se trata da oportunidade de as ouvir, utilizando da estratégia de marketing, que é ter uma comunidade digital, nós calamos as pessoas.

Mas, por quê? Talvez porque a promessa futura de uma estratégia com recorrência de pagamento nos iluda e nos cega com um dos principais pontos de utilizar essa estratégia.

Eu vejo que isso precisa ser dito para que dois públicos possam ouvir:

  • Os que vendem uma comunidade digital (seja qual for o assunto) e;
  • Aqueles que compram.

Escrevo isso com uma preocupação de que ambos não sejam engados por um recurso que é excelente, mas que tira completamente uma das principais práticas em uma comunidade: a comunicação mútua.

 

Mas há esperança para usar o Telegram em uma Comunidade

Acredito que o Telegram seja sim uma ferramenta sensacional com diversos recursos incríveis para quem tem ou quer ter uma comunidade digital.

Faça um grupo no Telegram, deixe as pessoas conversarem, intermedeie as conversas, utilize dos recursos com Bots, faça enquetes, compartilhe imagens, áudios, utilize hashtags (é um dos poucos locais que faz uma busca muito rápida com hashtags no app).

Deixe as pessoas interagirem ao ponto de você até mesmo questionar quem está a frente de tudo isso, você como marca ou eles como membros.

E grave aí no seu coração: Uma comunidade dá voz para todos falarem, seja a marca, sejam os membros.

 

E se você chegou até aqui, eu quero saber de você:

Quantos Canais do Telegram "te venderam" como uma comunidade digital? A comunidade que você participa tem outros meios de interação entre os membros?

 


Tu gostas de PODCAST? Então vou indicar que ouça ao episódio que participei no PODCAST do Social Media Cast, onde comento mais sobre meu posicionamento sobre isso e também no TrendCast .

Tribos
Marcílio Augusto Lara
Marcílio Augusto Lara Seguir

Há alguns anos eu descobrir que sou um embaixador, facilitador, um amante entre marcas e pessoas e desde então tenho ajudado pessoas a pertencerem e serem acolhidas em uma comunidade digital.

Ler conteúdo completo
Indicados para você